Total de visualizações de página

18 de jun de 2008

PLANEJANDO AS AULA DE CIÊNCIAS, É POSSÍVEL ABORDAR AS OUTRAS INTERDISCIPLINAS E TODOS OS CONTEÚDOS QUE FAZEM PARTE DO CURRÍCULO.


PASSANDO A DAR AULA DE CIÊNCIAS PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL...


Nós professores de educação infantil e séries iniciais, muitas vezes corremos o risco de nos concentrarmos em atividades de coordenação motoras, alfabetização e noções das 4 operações. Quando muito, aulas esporádicas de “religião”. Ciência acaba ficando para os conteúdos programáticos dos livros lá na 3ª e 4ª série. De vez em quando uma experienciazinha de germinação. Neste semestre “Graças a Deus” tive oportunidade de não só mudar meus conceitos, como adquirir alguns. Tenho planejado minhas aulas, preocupada com a interdisciplinaridade, e descobri na prática que todos os conteúdos que acima citei podem ser trabalhados na aula de ciências, por exemplo. Alfabetizar estudando os animais, transmitir e desenvolver os conceitos de quantificação estudando e classificando insetos é o máximo. Noções de fração no dia em que se estudam as vitaminas e alimentos saudável, com as frutas trazidas pelas crianças e que posteriormente se transformam em uma deliciosa salada de frutas. E como se não bastasse estudar os órgãos dos sentidos. O que sei é que faltaram horas para ver tudo o que ia surgindo espontaneamente com o planejamento de ciências. Percebi que planejando as aulas pensando em ciências, as outras matérias que antes eram o foco de estudos, passaram a ser o complemento para culminar o processo de aprendizagem. As coisas ficaram mais fáceis para mim como professora. A prova está no comentário deixado pelo professor Zeca no meu último trabalho desta interdisciplina: ”Excelente”! Disse ele. Dispensa comentários. Respondi: “Também achei!” Ainda bem que ele também percebeu. Logo no primeiro trabalho proposto, percebi algo claro: Que a visão que temos das coisas, que a concepção que cada um tem da natureza depende da relação que cada ser humano tem com ela. Nos desenhos feitos por nós alunos deste curso, percebi que a representação que fizemos de uma mesma palavra é resultado desta relação. Depois veio a vez de nossos alunos e mais uma vez a confirmação. Cada indivíduo vê da forma que se integra e interage no ambiente em que vive. Perceber isso é importante para servir de base em nosso planejamento de aula e ser ponto de partida para transmitirmos os conhecimentos necessários para que as crianças desenvolvam conceitos. Mais do que saber coisas, em ciências precisa-se desenvolver também e aprender a ter atitude, ter o conhecimento para agir. De uma forma ou de outra todos e tudo pertencem à natureza. Tem vida! É vida! Desenvolver uma consciência crítica em relação ao que se vai aprendendo e detectar onde cada um de nós pode agir para as mudanças necessárias para o bem estar de todo este contexto vivo, é fundamental. Eu, professora sou responsável como exemplo, como mediadora num estudo de investigações, experiências, busca de dados e na busca de respostas. Quem sabe fazer as perguntas certas para que meus alunos fiquem instigados a fazerem descobertas importantes à vida humana. Tendo ainda a consciência que estas descobertas podem tornar-se obsoletas numa próxima investigação de outro e dele mesmo. Assim é a ciência, estudo, análise, investigação e pode sim nortear as atividades em sala de aula em qualquer série e idade. As crianças já possuem noções das coisas, conceitos que podem servir de ponto de partida e juntos buscarmos outras respostas e outras perguntas. Lembro-me do dia em que trabalhando a reciclagem do lixo, tive de fazer um projeto, pois, veio a preservação da água, que tipo de solo poderíamos usar no plantio das mudinhas de flores nos vasos feitos com garrafas pétis, o que as plantas necessitam para se desenvolverem, onde colocaríamos os 40 vasinhos para acompanhar o crescimento das plantinhas, o sub projeto de paisagismo na pracinha, o ciclo da água, animais que vivem na água, etc, etc, e etc. E todas estas palavras sendo conhecidas, escritas e lidas e tudo sendo contado, classificado,somado, desenhado, pintado, reproduzido, diminuído e a noção de tempo e espaço, pois, afinal até o calendário teve de ser introduzido e aprendido. To sendo romântica? Às vezes vejo meus colegas me olhando estranho, sem entender por que estou tão entusiasmada ganhando tão pouco e trabalhando praticamente dia e noite. Estudando os textos que fazem menção aos ciclos da natureza se trabalha a noção de tempo e espaço e aí entra estudos sociais e matemáticos. Primeiro o antes, durante e depois. Em seguida ontem, hoje e amanhã. Passando para os dias da semana, mês, ano, 4 estações do ano e até que em fim os ciclos da natureza. Nada fica de fora, todos os conteúdos são abordados de forma equilibrada e sucessiva, literalmente professora e alunos construindo conhecimentos.