Total de visualizações de página

21 de nov de 2008

É NECESSÁRIO CONSTRUIRMOS A GESTÃO DEMOCRÁTICA.

Com certeza a gestão democrática é um desafio. A consciência e compromisso profissionais dos educadores, ao definirem as responsabilidades que solidariamente assumem de ação educativa, defrontam-se com os sistemas organizados do ensino, com as leis e normas que as regem, com as armaduras institucionais da escola e com as determinações econômicas políticas e culturais da sociedade mais ampla. Este confronto dificulta e interfere fazendo uma separação entre o fazer e o dirigir, basta olharmos os desmandos e arrogância de nossa atual governadora, impondo um projeto de lei que vai nos tirar o plano de carreira o qual foi construído e conquistado com muitas lutas nesta que é uma batalha solitária em defesa da educação. Lutar por uma qualidade de ensino parece ser uma luta apenas dos professores não sendo muitas vezes compreendidos nem pelos alunos que são o objeto de defesa, a menina dos olhos de nós educadores.
Gestão democrática pressupõe o respeito ao outro. A escola democrática é uma conquista de todos e compreende a participação da sociedade. Para que consigamos enquanto professores fazermos parte atuante da gestão democrática necessitamos do apoio da comunidade, mais do que isso, é essencial sua atuação efetiva em todos os aspectos.
Porém a autonomia dos educadores encontra limites na escassez de recursos, como se estes não fossem necessários à qualidade do ensino. Administrar a escola é lidar com estas contradições, sem desconhecer e sem negar a possibilidade de vencer cada um dos desafios. Requer uma estratégia consensual onde não haja planos individuais de ação, mas na força do entendimento e comprometimento em todos os âmbitos de planejamentos e ação.
Quando a comunidade é presente na escola esta se torna a voz e a vez representando o exercício da cidadania. Pois a Gestão Democrática está inserida num processo bem mais amplo de democratização da comunidade e ainda estamos vivendo um exercício de democracia. O conflito entre teoria e prática há por que a democracia ainda precisa ser construída. E é para isso que estamos aqui e aí. (Marques, Mário Osório. A FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO. Editora UNIJUI, 1992).