Total de visualizações de página

27 de jun de 2009

EDUCAÇÃO E CIVILIZAÇÃO PARA A HUMANIZAÇÃO


(homenagem aos meus avós que nesta foto com minha filha representam a idéia de Kant: Disciplina, e Adorno: Autonomia, no desenvolvimento do SER HUMANO.)
No seguinte trecho, segundo ADORNO (1974, p. 4), “[...] eu ousaria acrescentar que nossa sociedade, embora se integre cada vez mais, incuba simultaneamente tendências desagregadoras [...]”. Por outro lado, Kant faz referência a um projeto educativo cosmopolita. Qual a relação entre esta idéia de projeto e as tendências mencionadas por Adorno?
Elisângela: Kant refere-se à educação como processo de humanização enquanto que Adorno fala de educação como civilização. Quando Kant defende a idéia de uma educação cosmopolita refere-se a um processo de humanização do ser humano como um todo e em si mesmo. Veja Kant: “Pode-se buscar o começo da humanidade num estado bruto ou num estado perfeito de civilização”. Fala de “começo” por entender a humanização como um processo, refere-se ao estado “bruto”, nos dando a idéia de ingenuidade, pureza de índole e caráter bem como um espírito e mente ainda não corruptível ou volta em si mesmo para um estado de consciência tal que se inicia em si mesmo um processo de humanização pelo conhecimento e transformação pela clareza que este pode ser. Enquanto que Adorno nos chama a atenção do estado de loucura que a educação / civilização pode ser. O ser humano dotado de tal conhecimento que entra em colapso, desequilíbrio e desarmonia com o seu ser mais profundo: Humanidade. Há estes dois paradoxos. Civilização pode iniciar um processo de humanização como dês humanização, estado bruto de ser pode ser um estágio humano bem como animalesco. Se pensarmos nas pessoas que conhecemos no decorrer de nossa vida, podemos referir-nos a este ou aquele como alguém que é humano de caráter e personalidade, porém não possui a educação enquanto civilização. Até justificamos que está em estado bruto no processo de desenvolvimento e podemos até Admirá-lo como SER HUMANO (no conceito de Kant). Enquanto que conhecemos pessoas que são civilizadas, possuem educação e podemos conceituá-las como seres corruptíveis que não parecem SER HUMANOS.
Adorno fala de uma desagregação em função da civilização referindo-se ao processo de loucura e dês humanização que este pode desenvolver no SER HUMANO que em estado “bruto” tinha princípios e essência de SER HUAMNO. Kant defende que uma educação cosmopolita pode resgatar o SER HUMANO enquanto membro de HUMANIDADE. O primeiro refere-se à civilização e educação como razão oposta à humanização. O segundo refere-se à educação e civilização como consciência e razão = a humanização.
Kant fala muito em disciplina, Adorno invoca a idéia de estimular a autonomia Qual seu ponto de vista em relação a estes dois conceitos?
Elisângela: Kant refere-se à disciplina como processo de formação do SER HUMANO. A disciplina num processo de transformação e desenvolvimento para se chegar a um estágio de consciência e humanidade enquanto um ser dotado de razão e em processo de evolução no sentido de tornar-se a sua essência de humano. Disciplina para Kant é proporcionar a criança condições de estruturar o seu desenvolvimento e evolução. Por exemplo, ele acredita na educação em que a criança construa e estrutura a sua liberdade, que ela própria pode ser autora de sua formação, disciplinar a criança mostrando-lhe os valores e princípios fazendo com que ela internalize obtendo uma consciência. Quando uma criança inicia as primeiras manifestações da linguagem e a mãe compreende que ela quer água, por exemplo, mostrar a criança que ela mesma subindo em uma cadeira e dispondo de uma certa força pode satisfazer a sua sede, ensina para ela muito mais que condições e possibilidades, ensina que é digna de confiança, ensina que a ama de tal maneira que deseja a sua capacitação, que a quer apta e preparada para construir a própria vida. Ensina que apesar de a criança ser autora tem a mãe como companheira, ali presente, digna de confiança, porém apostando e acreditando na capacidade da criança. Adorno fala que a pessoa que não reconhece vínculos ou compreende mais ou menos este conceito está constantemente em crise de comando. Esta pessoa não vai desenvolver a autonomia e não só não saberá compreender o conceito e importância de comando como vai buscar constantemente uma voz de comando. Acredito que a criança que descrevi desenvolve e estrutura em si mesmo o conceito de autonomia bem como de comando. Vai saber se posicionar enquanto autora e co-autora na vida. Reconhece a importância do comando e sabe posicionar-se como autora (arrasta uma cadeira mesmo sem saber caminhar vai usá-la como instrumento de apoio, saberá localizar a água, saberá traçar estratégias de ação para alcançar seus objetivos e sentirá a satisfação de saciar a sede e a consciência de suas potencialidades tendo a mãe como comando).
Sempre me questionei se a educação que dei e dou às minhas filhas é a correta, pois, vivenciei uma série de conflitos bem difíceis quando minha filha aos 12 anos de idade entrou na adolescência. Por sorte estou no PEAD e neste processo estudamos o desenvolvimento do SER HUMANO em todas as interdisciplinas. Elas me ajudaram a compreender, construir e reconstruir meus conceitos. A situação da criança que descrevi acima aconteceu comigo e minha filha. Lembro-me ainda hoje quando ela conseguiu dizer com alguns meses de vida, já se arrastava por tudo, o código “GÀ” = água. Fui até a cozinha com ela e ia lhe mostrando o que fazer: ela tomou água e eu ainda fiz “uma festa” por ela ter conseguido. Nas primeiras vezes seguidas, sempre que ela queria água demonstrava para mim por que queria que eu repetisse os comandos até um dia em que eu a surpreendi em cima de uma cadeira encostada na pia tomando água.

Avaliação das perguntas feitas a mim pela colega Vick:

Amei! Desculpem-me as informalidades, mas, quando li estes dois textos de Kant e Adorno compreendi sob um outro ponto de vista. Vi Adorno preocupado com o resultado da civilização desencadeando a loucura e chamando a atenção para que barbáries como a de Auschwitz não se repita e a importância de estudarmos coisas como deste tipo para desenvolver a consciência e compreendermos os seus significados. Através do estudo respondendo a estas duas perguntas reconheço Adorno referindo-se ao desenvolvimento da autonomia, a força para a reflexão, para a autodeterminação, para a não-participação. Ou seja, ele aponta um caminho.

Antes destas questões enviadas a mim pela colega entendi Kant conceituando SER HUMANO, SELVAGERIA e mostrando um caminho de educação e civilização no processo de busca pela humanização. Agora vou mais longe percebendo Kant descrevendo o caminho e o processo de humanização. Vi com outros olhos conceitos como autonomia e disciplina. Agora disciplina como algo importante, facilitador e fundamental para se desenvolver a autonomia numa ação reflexiva e consciente. Disciplina como norteadora, moldando a moral e princípios de valores e prudência. Kant ainda refere-se à formação como conhecimentos que proporcionam o desenvolvimento desta prudência, depois segue com a moral que só pode ser estruturada sob princípios do reconhecer, só se reconhece pela formação e embasada em conhecimentos, a fundamentação do senso comum, explica-se aqui a educação cosmopolita. Destaca a importância do respeito às fases de desenvolvimento referindo-se a insignificância de as características de um adulto manifestas em uma criança e as de uma criança manifestas em um adulto.