Total de visualizações de página

11 de jan de 2010

ID EGO E SUPER EGO E AS FASES DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL

OBS: Revendo meus guardados encontrei este texto que escrevi e gostaria de compartilhar com vocês em DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM SOB O ENFOQUE DA PSICOLOGIA 1-A (maio de 2007)


Professora: Juliana Brandão Machado

Atividade: Trilha psicanalítica_ atividade 6

 UM DIA DE AULA DA PROFESSORA EGOGILDA.


A professora se aproxima da sala de aula, pois acaba de soar o sinal. As crianças estão em fila, meninas para um lado e meninos para o outro, "não podem estar na mesma fila, pois meninos e meninas jamais ficam pertinhos um do outro, vai que começam a despertar pensamentos impróprios. O bom de fazer filas separando-os por sexo é que isso os impede de ter imaginações" (rsrsrsrsr).

Alguns meninos estão brigando, o ID sempre aprontando, não consegue ficar na fila sem arrumar problemas, mas, as crianças o adoram. Foi eleito o representante da turma e uma das razões é o fato de que ele está sempre fazendo as reivindicações para o diretor, o Sr.Supereg. Brigam o tempo todo e a professora Egogilda sempre tendo que interferir. Esta sim é uma prô legal, sensata concilia tudo e todos, os outros professores estão sempre a chamando para ajudar a resolver as questões de indisciplinas. O ID estava brigando por causa do lugar na fila que ser sempre o primeiro. A professora Egogilda tomou a decisão de que ninguém mais na turma dela fará fila para o que quer que seja todos entrarão e sairão dos lugares na hora que se sentirem prontos.

A professora abriu então a porta e as crianças entraram claro que o menino ID saiu correndo e conseguiu entrar primeiro, derrubando tudo o que encontrou pela frente. Ela foi obrigada neste caso chamar o Senhor Diretor Supereg que prontamente veio, passou um sermão no garoto e o colocou de castigo, tal foi à confusão que o menino , por alguns instantes se arrepende, sentiu-se envergonhado, pois, todos o olhavam com ar de repressão.

Logo neste dia, todas estas confusões, e logo no início da aula, realmente não era um bom momento, pois a professora estava cheia de problemas, contas a pagar, e salário que não havia entrado na conta. Não deu outra, encheu o quadro e colocou todos a copiar incessantemente, ela não mostrou os dentes neste dia, ainda bem, pois não eram o que podemos chamar de “sorriso de propaganda de creme dental”. Ganhava muito pouco e a realidade era dura para a professorinha Egogilda, não sobrava dinheiro para ir ao dentista.

Estava tentando se acalmar quando uma aluninha começou a chorar. A menina Idinéia diz que está com saudades da mãe e para completar ficou sem o lápis de tanto colocá-lo na boca, acabou por mordê-lo todo. Conversou com a menina sobre a importância de ela estar aí para aprender e ser “alguém na vida”. Aproveitou para chamar a atenção do Anildo que estava entrando na sala, havia ido ao banheiro sem pedir licença, dizendo que não deu tempo, pois estava muito apertado, doido para fazer xixi. Este menino é teimoso, nunca ouve a professora Egogilda, sempre querendo impor seus impulsos e exige que os colegas façam suas atividades. Um dia desses o Diretor o flagrou exigindo que uma coleguinha trouxesse a merenda para ele.

Deu uma olhada rápida pela sala de aula e não encontrou o garotinho Falíbio e a Fali, os colegas disseram que eles estavam no banheiro. Foi dar uma espiada e os pegou literalmente com as calças na mão. Falíbio disse que Fali é que queria ver seu “pintinho”. Ela está com algumas dificuldades em casa, ta dizendo que não gosta da mamãe e que só o papai é que é legal, está sempre com ele e prefere que o papai lhe traga e lhe busque na escola. ID aproveitou, saiu do castigo e derrubou os materiais da professora Egogilda, sem querer.

Por que todos os alunos não são como Lotêncio? Calmos, obedientes e esforçados? Pensa Egogilda no seu limite da paciência. Este sim é um menino exemplar, diz ela aos aluninhos, todos deveriam ser como ele.

Nesta turminha há todo o tipo de comportamento extremos, coitadinha da professorinha. Se vocês vissem o Genito, compreenderiam sua falta de paciência. É um menino completamente confuso, está querendo namorar, briga todo o tempo, é agressivo, tem horas que quer a mãe, horas que é dominador e em outras extremamente alheio a tudo, parece que nem na sala está. Irrita-se com facilidade com tudo e com nada, parece ter maturidade e às vezes representa ser o mais imaturo dos alunos.

Genito não está relacionando-se bem em casa com os pais e desconta nos colegas e na professora Egogilda suas angústias, diz que os adultos não o compreendem e agride os colegas por que está com raiva. Ela até que tentou conversar com ele, mas este demonstrou nem lembrar o porquê estava irritado. É um menino que não participa das brincadeiras e atividades propostas pela professora, fala que os colegas só riem dele. Não se abre e não fala sobre o que lhe angustia.

Com toda esta diversidade de comportamentos e personalidades, não resta a menor dúvida de como a professora Egogilda de vê conduzir seus alunos em suas descobertas e desenvolvimento dos conhecimentos.

Ela observa e parte do que cada um sabe a respeito dos conteúdos, valorizando a bagagem cultural que cada um traz em si. Egogilda tem conhecimentos sobre a psicanálise e os aplica em sala de aula para obter êxito em seu trabalho. Ama o que faz e está sempre estudando para fazer o melhor que pode. O dia de aula chega ao fim e ela se despede dos alunos. Dá um beijinho no ID, na Idinéia, Genito, Lotêncio, Anildo, Falíbio, Fali e todos os outros. Ao passarem no corredor encontraram o Diretor Supereg que não perdeu a oportunidade de reclamar por que eles não estavam em fila.