Total de visualizações de página

30 de out de 2007

EU /3º SEMESTRE




Falar deste terceiro semestre e como estou é no mínimo rico em informações.
Tenho passado por sérios problemas que muitas vezes não consegui realizar as atividades em prazos e datas determinadas, mas, como sempre vou até o fim no que me proponho a fazer e a faculdade é a realização de um dos maiores sonhos de minha vida, vou fazendo à medida que posso e esforçando-me para fazer meu melhor apezar das dificuldades. Em nenhum momento estas dificuldades são em relação ao curso, mas pessoais e alguns colegas e poucos que me conhecem sabem. No dia em que realizei a prova de seminário integrador no final do segundo trimestre tive que conseguir carona, pois não tinha o dinheiro para o Ônibus. Chorei o dia todo pelo fato de saber a matéria das cinco interdisciplina estudadas e estar diante do fato de não poder ir realizar a prova. Mas, no final deu tudo certo, a carona eu consegui e para voltar uma amiga emprestou-me o dinheiro. Obrigada!
Em se tratando das interdisciplina este semestre tem sido uma benção. Artes visuais ensinando e despertando-me para releitura de obras e releitura e redirecionamento de meu próprio olhar. Desenvolver nas crianças o olhar crítico e artístico de obras de arte conceituadas, de seus colegas e do próprio fazer artístico, tem sido muito estimulante e desafiador. Rever as atividades e propostas de trabalho em sala de aula, agora com um sentido teórico e de conhecimentos.
Estou trabalhando teatro com os alunos do ensino médio e os textos da interdisciplina de teatro me esclareceram e muito quanto aos aspectos que este desenvolve nos alunos enquanto seres humanos completos. Tenho colocado em prática as técnicas que exploram os sentidos fazendo-os despertar para um campo em que não estão acostumados e alguns nem sabiam que existe, o campo do fenomenal. A maior dificuldade neste sentido tem sido a integração, são naturalmente arredios, não permitem que os colegas "invadam" o campo físico ou sensorial de cada um. Têm dificuldades no representar papéis devido ao fator aprovação/reprovação. É necessário eles perceber que representar não implica fazer o que os outros esperam, mas ser fiéis aos sentimentos e espontâneos nas atitudes.
Tenho dificuldades para compreender a estrutura teórica dos poemas, mas, adoro poesia. O som da poesia me faz melhor, é possível ver o mundo mais colorido. Neste sentido comecei a trabalhar mais com poesias em sala de aula pelo que ela representa e desperta em quem a lê. As crianças têm gostado e as atividades de interpretação ficam mais leves e divertidas. É possível se fazer poesia com alunos de primeiro ano que ainda não são alfabetizados com os códigos da escrita. Eles as constroem verbalmente e as representam de forma lúdica conhecendo e reconhecendo seus códigos, ritmo e fantasia. É possível interpretar uma poesia e nela descobrir muito mais do que os códigos da escrita nos apresentam. Com a poesia adentramos no mundo da imaginação. Percebo que quando as crianças têm uma atividade em que podem escolher um conto de fadas para ler ou simplesmente manuseá-lo e desenhar sua interpretação, elas o fazem de forma que se identificam com os personagens da história. De acordo com suas vivências, seu mundo e sua realidade.
Trabalho com educação artística então, tudo o que estamos estudando , estou aplicando na prática e realizando as atividades com os alunos que são de primeiro ano no ensino fundamental e de 5ª série ao ensino médio. Ludicidade e música dispensam comentários. Fizemos umas bonecas de pano que foi um luxo na 6ª série, os meninos para minha surpresa fizeram umas bonecas e eu gostaria de tê-las ganhado. Não consegui nenhuma, confirmando que a boneca para a criança é um espelho do seu ser, é uma amiga muito próxima do seu coração, pois sempre a acompanha em todos os seus momentos, seja nas brincadeiras, nas tristezas e alegrias, na cama ao dormir, por esse motivo a criança estabelece uma relação de imenso valor para com a boneca, e isso não ocorre com outros brinquedos.
Todas as atividades deste semestre e de todos os outro (rsrsr) de uma forma ou outra têm conseqüências direta em minha prática docente e em meu EU enquanto indivíduo em formação. E, isto é muito prazeroso. Como sugeriu um amigo também estudante da UFRGS, em outro curso: _ A palavra que define "isto", todo este contesto de interdisciplina, atividades, prática doscente e crescimento individual é SORVETE!mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm